Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entre Voos

A vida também acontece entre voos, entre momentos, entre o ontem e o amanhã. "Entre Voos" é um espaço de sentimentos feitos palavras, onde se espera pela vida como por um voo na sala de um qualquer aeroporto...

Entre Voos

A vida também acontece entre voos, entre momentos, entre o ontem e o amanhã. "Entre Voos" é um espaço de sentimentos feitos palavras, onde se espera pela vida como por um voo na sala de um qualquer aeroporto...

Parabéns!

por Entre Voos, em 30.10.14

 

Aqui onde estou, mesmo a milhares de quilometros de ti, vejo-te à minha frente... Estou sentado, contigo dentro de mim, imaginando-te neste restaurante à beira mar, 30 graus à noite, bebendo uma fresca caipirinha de maracujá. Falei de ti para comigo, imaginando como seria esta nossa noite, aqui, perfeita. Senti falta do teu olhar, senti falta de tocar o teu rosto, senti falta do delicioso perfume da tua pele. Senti falta de ti. E, no entanto, aqui estás. A brisa quente que me afaga a pele recorda-me o calor que a tua presença provoca em mim...

 

Falei-me de ti, das nossas histórias, da nossa história!, das nossas coisas boas e das dificuldades naturais dos relacionamentos intensos... Ri, chorei, desejei-te, demos as mãos e até senti, por momentos, que a brisa que me embalava era a tua pele que tocava a minha: total, macia, envolvente, segura...

 

Olhei para a mão, onde a aliança que um dia me deste reclama com naturalidade o seu lugar, e acariciei a lembrança do que já fomos e do que ainda és para mim. Dou por mim a mexer na aliança e logo um sorriso se me cola aos lábios. Não sei quanto tempo já passou, pois esta tua ausência não se conta em dias ou semanas, mas em olhares, palavras e beijos que não se chegaram a trocar entre nós... Perdi a conta ao número de vezes que os meus olhos te procuraram, em vão, em cada rosto que comigo se cruzou e em todas as mensagens que recebi. A tua ausência, essa, indiferente ao tempo e à distância, tem o seu lugar marcado aqui, hoje, à minha frente, de copo na mão, brindando ao teu aniversário e ao teu sorriso. "Parabéns", murmurei, com as estrelas deste céu límpido refletidas nos meus olhos e o calor agradável da noite espelhado no meu coração.

 

Desta vez brindo sozinho, contigo dentro de mim, tranquilo, em paz comigo e com o mundo. Não creio que sejam necessárias mais palavras. De tudo o que já te escrevi, nada mais posso acrescentar que não soe a repetição. Doce, sincera, profunda mas, ainda assim, repetição: amo-te muito. Sempre foste a mulher que procurei ao longo da minha vida. Vais ser a mulher que sempre quero ao meu lado...

 

Por isso, um brinde a ti: que encontres na luz do sol o reforço da paz que partilhas no teu olhar, que te inspires nas estrelas da noite para iluminares o caminho que a tua alma procura, e que as madrugadas frescas te acalmem os fantasmas interiores e te possam devolver a paz que eu te tirei. Que cada manhã seja um recomeço, uma folha em branco onde só escreves o que te faz feliz. Que todo o universo conspire para que obtenhas o que desejas.

 

Licença Creative Commons

Direitos

Licença Creative Commons
Os textos de Entre Voos disponíveis em http://entrevoos.blogs.sapo.pt/ estão disponíveis com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Favoritos